PROPINODUTO

PROPINODUTO

Muitas denúncias se esparramam pelo ar,

Enquanto a força da pandemia nos assola;

A “CORRUPTOLOGIA” vira cadeira na escola,

A se tornar pré-requisito pra se governar.

Os que acusam prevaricação no executivo 

Buscam provas por aqui, por ali e por acolá;

E da terra de um antigo caçador de marajá,

Renasce a fúria do “arquivador” legislativo.

Aquela “casa” que, inda há pouco, era alvo

E abrigava muitos ratos do “MENSALÃO”;

Rapineiros na República do “PETROLÃO”,

Ora abrigados em comissão, se põem a salvo.

Convocadas testemunhas, e seus mal feitos

Encobertos, protegidas por direito de calar,

Mandam às favas quem se atreve a indagar;

E seu silêncio sufoca a verdade, por Direitos.

O mau juízo oculto à sombra da verborreia,

Vaidoso modismo do jurídico e arbitral saber,

Transforma, tudo o que é, no que poderá ser,

 Enganosa fantasia para uma inculta plateia.

O PROPINODUTO a despejar muitos bilhões,

Por vias dúbias e misteriosas de um Ministério,

Num empurra-empurra de gastança sem critério;

E o povo morrendo, sem culpados, entre ladrões.

2 comentários sobre “PROPINODUTO

  1. Parabéns!
    Como sempre, suas colocações bem elaboradas com análises da nossa realidade atual, trazendo alerta e esclarecimento a quem fecha os olhos e os ouvidos para os fatos, preferindo atender ao apelo da mídia purulenta!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s